*favorite as imagens acima!

NFT: O que são e o que significam para arquitetura

Em 2021, o volume de negociação de NFT chegou em US$ 25 bilhões. Quando comparamos aos humildes US$ 95 milhões no mesmo período anterior, entendemos que o mercado de Tokens está em uma crescente acelerada, e seus impactos na arte, cultura e no mercado financeiro já são muito visíveis.

Mas como a nova onda do mundo das criptomoedas influenciará a arquitetura? Neste artigo iremos te explicar tudo sobre NFTs e seus reais impactos em 2022.

 

Zaha Hadid Architects: NFTism’ at Art Basel Miami Beach – Foto: Reprodução/Internet

 

O que são NFTs?

NFT é uma sigla para Non-fungible Token (Token Não Fungível, tradução livre para o Português), e funciona como um selo de autenticidade.

Um token, na linguagem de criptomoedas representa um ativo – ou seja: dinheiro, obra de arte, música, etc – e esses ativos ficam registrados em uma blockchain, que é uma espécie de “Livro de registros” onde ficam as informações de transação de criptomoedas e os dados pessoais de quem as possui.

Por definição, fungível, é tudo aquilo que pode ser trocado por outros bens de mesma espécie, qualidade e quantidade. Em um exemplo mais simples: Uma nota de R$ 20,00 pode ser trocada facilmente por duas notas de R$ 10,00 sem perder seu valor. Já a famosa Monalisa de Leonardo da Vinci, não é fungível pela sua singularidade, e não pode ser trocada por outra igual.

Por isso, um NFT representa um item único no mundo, que pode ser físico ou digital, mas ganhou muito mais força com as artes gráficas, tendo mais visibilidade com o Bored Ape Yatch Club e CryptoPunks, negociando suas artes milionárias com famosos como Stephen Curry, estrela do basquete americano, o jogador Neymar e até Justin Bieber, que iniciou a fazer investimentos em fevereiro deste ano.

 

NFT comprado por Stephen Curry – Bored Ape Yatch Club – Foto: Reprodução/Internet

 

E afinal, como um NFT é criado?

O processo de criação de um NFT é similar ao processo criativo de uma obra de arte digital. De uma maneira super simplificada, o artista faz o upload de seu projeto na plataforma (hoje a mais conhecida é o site OpenSea). Após, conecta a sua carteira de criptomoedas, paga a taxa Gas (similar à taxa de custódia da B3), que refere-se aos custos para realizar transações no blockchain Ethereum, e começa a negociar. Fácil, não?

Mas agora vamos falar do que realmente interessa, o impacto que os NFT podem ter no mundo da arquitetura.

 

E qual seria o real o impacto que os NFTs podem ter na arquitetura?

Já sabemos que o mercado financeiro e virtual está tendo um grande impacto com a chegada dos NFT, que seriam apenas ‘Colecionáveis’ em um primeiro plano. Porém esse impacto é muito maior do que isso. Segundo a escritora Australiana McKenzie Wark, “é muito menos sobre ter a propriedade sobre algo que ninguém tem e muito mais sobre ter a propriedade sobre algo que todo mundo tem”.

 

Meme da garotinha em frente à uma propriedade em chamas viralizou na Internet em 2005 vendido por US$ 473 mil (cerca de R$ 2,6 milhões, em conversão direta) — Foto: Reprodução/Internet

 

O impacto dos NFT é na cultura como um todo. É de posse e garantia de autenticidade, algo que está pouco atrelado à cultura da internet nas últimas duas décadas. Pelo poder do alcance escalonado da rede e com uma glamourização da “viralização”, a internet cultuou por muito tempo a premissa de que tudo que está na rede é público e sem autoria, e algo que potencializou ainda mais esse movimento foi o Tiktok.

De uma maneira elegante, podemos dizer que toda expressão criativa poderá ser rastreada de uma maneira mais atenciosa. Seja um meme, uma foto, uma música e até um projeto arquitetônico. E é aí que entra o grande possível impacto na arquitetura, afinal, você com toda certeza já utilizou uma referência que encontrou na internet para realizar um novo projeto, não é mesmo? Agora, já imaginou se o dono desse hipotético projeto resolvesse cobrar de você ter se inspirado nele. Pois é, exatamente isso que pode vir a ocorrer caso o uso dos NFT se torne algo acessível.

Hoje, cada NFT é negociado por alguns milhares e até milhões de dólares. Mas acessibilizando a disponibilização e entrega dos recursos, devem ter um grande impacto em qualquer referência de expressão criativa e suas variações. Ainda está meio confuso né? Mas imagine, seria como ter a possibilidade de cobrar direitos autorais de alguém ter se inspirado de alguma maneira em seu projeto.

Ao mesmo tempo que existe a possibilidade de dar muito mais autoria e controle a quem tem posse criativa daquele recurso, paira no ar a limitação que virá com um uso mais aberto dos Tokens no futuro.

 

Quais são os NFT mais importantes da Arquitetura?

O NFT arquitetônico mais valioso é a Mars House, a primeira casa virtual vendida no mundo. O projeto que foi feito por Krista Kim, foi vendido por 288 Ethereum. Este valor, convertido para reais, seria cerca de R$ 2,75 milhões na época da transação.

 

 
 
 
 


 
View this post on Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

A post shared by Krista Kim (@krista.kim)

 

Convertendo para a data desta publicação, 288 Ethereum seria o equivalente a R$ 4.58 milhões de reais.

O mercado imobiliário também está tendo mudanças significativas com o surgimento dos NFT, facilitando a vida de compradores e corretores, os leilões podem ser o início de uma desburocratização para a venda de imóveis. Nos EUA a Propy Real Estate foi a primeira empresa do mundo a realizar a venda de um imóvel com NFT por mais de U$ 650 mil dólares (mais de R$ 3 milhões de reais em conversão direta).

 

NFT for Sale – Propy Inc.

 

Natalia Karayaneva, CEO e fundadora da Propy Real Estate acredita que o mercado imobiliário pode se beneficiar e muito com as criptomoedas devido ao processo super rápido. Neste artigo escrito por ela para a Revista Forbes, relata que o comprador do imóvel teve a titularidade concedida em apenas 22 minutos, uma melhoria considerável quando comparamos ao prazo de 15 a 30 dias estabelecido hoje.

Não é novidade para ninguém que o mercado de NFTs ainda terá um grande impacto na produção de arte digital, metodologias de compra de produtos e serviços, e podemos estar preparados para muitas mudanças também na arquitetura. As discussões em torno da nova tecnologia ainda irão ganhar mais nuances e complexidades. Como qualquer nova tecnologia ou conceito, causa estranhamento e euforia de milhares de pessoas, mas o importante é continuar a conversa e aprender com os avanços e soluções que surgirão.

 

E você, o que acha sobre o assunto? Deixe para nós nos comentários.

por Refresher